Quais os danos e como prevenir os olhos dos raios solares

Tempo de leitura: 3 minutos

Sabemos que é importantíssimo se proteger dos raios UV, e por isso, os dermatologistas sempre indicam o uso de protetor solar diariamente, inclusive se você não for sair de casa ou o tempo estiver nublado. Porém, a proteção dos olhos não está no topo de prioridade dos pacientes, e inclusive, muitos nem sabem que precisamos ter esse cuidado também.

A maioria das pessoas associa a exposição prolongada ao sol apenas com problemas de pele, mas não se atentam que os raios solares também são prejudiciais à nossa visão no decorrer do tempo. Entre as principais danos oculares por excesso de claridade estão: catarata, pterígio, degeneração macular e fotoceratite. Além disso, da mesma forma que o sol envelhece nossa pele, também causa envelhecimento em nossos olhos.

CONHEÇA OS DANOS OCULARES

Catarata: é a maior causa de cegueira tratável do mundo. A catarata gera a opacificação do cristalino e, em geral, ocorre a partir dos 60 anos, mas pode afetar quem se expõe muito ao sol antes disso. A doença é responsável por 47% dos casos de perda de visão entre os brasileiros.

Degeneração Macular: é a causa mais comum de cegueira definitiva no ocidente, e ocorre quando a radiação causa a morte das células da retina, responsáveis pela visão de detalhes. A exposição excessiva aos raios solares ainda causa ressecamento do canal lacrimal, que pode levar à ceratite, inflamação da córnea e pterígio.

Ceratite: esta é uma espécie de queimadura da córnea, que causa dor, lacrimejamento, vermelhidão, fotofobia e sensação de areia nos olhos.

Pterígio: causado por exposição em excesso, principalmente para quem trabalha ao ar livre, é um tecido que cresce sobre a córnea e obstrui a visão. Também pode ser conhecido como “carne crescida”.

COMO SE PROTEGER

O principal cuidado é utilizar lentes de qualidade, que protejam entre 90% e 100% da radiação UV. Esta proteção é necessária não apenas em óculos de sol, mas também em lentes comuns usadas no dia a dia. Escolha lentes que fiquem próximas aos olhos, e óculos em formato envolvente para diminuir a exposição pela lateral do rosto. Bonés, viseiras e chapéus também diminuem a exposição aos raios solares e, como sempre, evitar pegar muito sol entre 10 e 16 horas é uma ótima recomendação.

As crianças precisam de um cuidado especial, já que passam mais tempo ao ar livre que os adultos. Para crianças que precisam usar lentes corretivas, o ideal é investir em lentes fotossensíveis, que dispõem de proteção UV e reduzem o cansaço visual. Uma exposição excessiva aos raios solares na primeira infância é muito nociva para nossa visão, e os danos oculares podem ser cumulativos e aparecem anos mais tarde.

Uma alimentação adequada também traz efeitos positivos na proteção visual. A Luteína, encontrada em alimentos como repolho, espinafre, brócolis e muitas frutas e legumes amarelos ou alaranjados, atua como antioxidante para proteger as células oculares, diminuindo o efeito da luz azul nos olhos.

Fique atento aos cuidados com seus olhos, pois alguns danos oculares não são reversíveis e causam muito incômodo, além do risco de cegueira. Cuide bem de seus olhos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *