Ceratocone: esfregar os olhos pode causar ou piorar a doença

Tempo de leitura: 3 minutos

Ceratocone é uma doença não inflamatória. A enfermidade modifica a estrutura da córnea causando visão distorcida.

A saber a córnea é a proteção natural do globo ocular. Essa lente projeta a luz sobre a retina. Desse modo qualquer alteração na superfície da córnea pode comprometer a qualidade da visão.

Seja como for, a principal mudança no paciente com ceratocone é a redução na espessura da parte central da córnea. Ao ser empurrada para fora aparece uma saliência que deixa a córnea em formato semelhante a um cone.

Sintomas da Ceratocone

É durante a puberdade e início da vida adulta que os sintomas aparecem na maioria dos casos. Dessa forma é importante prestar atenção para evitar a evolução da enfermidade já que nesse período a escola, o início da vida profissional e acadêmica podem ficar comprometidos pelo problema de visão.

Em primeiro lugar, uma pessoa com ceratocone apresenta visão borrada ou distorcida seja para longe, seja para perto.

A doença pode estar em graus diferentes em cada olho. Sob o mesmo ponto de vista, pode ser que o grau de visão se torne mais comprometido em um lado do que do outro.

Essa alteração na visão leva o paciente a ter que trocar o grau dos óculos com frequência até que seja necessário o uso de lentes de contato. Se não tratada a tempo podem aparecer complicações como o recuo da pálpebra inferior e perda aguda da visão (hidropsia).

Outros sintomas comuns são:

  • Dor de cabeça;
  • Halos em torno de focos de luz;
  • Fotofobia;
  • Coceira nos olhos;
  • Perda progressiva da visão;
  • Diplopia (visão dupla);
  • Poliopia (enxergar múltiplas imagens de um mesmo objeto);
  • Comprometimento da visão noturna.

Existem relatos de pacientes com ceratocone subclínico.

A doença pode ser assintomática, ou seja, o paciente não terá nenhuma queixa mesmo com o formato da córnea diferente.

O que causa ceratocone?

De acordo com a medicina ainda não foram encontradas as causas da enfermidade. Porém, esfregar os olhos com frequência pode alterar a superfície da córnea e levar a perda de seus elementos estruturais.

O ceratocone pode se manifestar em portadores de síndrome de Down e pacientes com alterações oculares congênitas como esclerótica azul e catarata.

Pessoas com histórico de alergia estão suscetíveis a doença pois sentem coceira nos olhos durante as crises alérgicas o que pode machucar a estrutura da córnea.

A genética também pode influenciar no aparecimento do problema. Assim, é importante pesquisar o histórico familiar para saber se existem parentes com ceratocone.

Como é feito o diagnóstico?

Uma vez que há suspeita de ceratocone é fundamental visitar o oftalmologista. Durante a avaliação serão solicitados exames para entender o grau da doença e quais as melhores formas de tratamento.

Formas de diagnosticar ceratocone

  • Exame Na Lâmpada de Fenda;
  • Topografia Computadorizada da Córnea,
  • Paquimetria Corneana;
  • Tomografia Computadorizada.

Como prevenir o ceratocone?

A prevenção de uma doença acontece quando conhecemos suas causas.

Como os pesquisadores ainda não chegaram a uma conclusão sobre a causa do ceratocone, a única forma possível é controlar a doença assim que for descoberta.

Porém, é muito importante prevenir. E dentre as opções preventivas recomendadas por oftalmologistas podemos citar:

  • Tratamento de doenças que irritam a vista (rinite, asma, alergias de pele);
  • Boas práticas de higienização de lentes de contato;
  • Evitar coçar os olhos.

E claro, visitar regularmente o seu oftalmologista garante uma prevenção completa contra a ceratocone e diversas doenças dos olhos.
O conteúdo foi útil para você? Compartilhe com seus amigos nas redes sociais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *