Os mitos e verdades sobre a Síndrome do olho seco.

Tempo de leitura: 3 minutos

Vermelhidão, coceira, sensação de areia nos olhos, dificuldade para enxergar com qualquer intensidade de luz e o vento para empurrar ainda mais areia para dentro dos olhos como se fossem pedaços de vidro. Se você está sentindo alguns desses sinais e sintomas pode estar sofrendo da Síndrome do Olho Seco, também chamado de Síndrome da Disfunção Lacrimal.

Saiba mais sobre essa condição, os principais mitos e verdade e como resolver esse problema tão comum e que afeta diversas pessoas no mundo todo!

Quais as principais causas da Síndrome do Olho Seco?

A síndrome normalmente é provocada por conta de um problema na síntese ou na composição das lágrimas, líquido que lubrifica os olhos constantemente durante todo o tempo. Apesar de parecer algo simples, essa é uma doença que precisa de acompanhamento do especialista, neste caso, do oftalmologista e cuidados diários, pois pode trazer diversos transtornos.

É preciso compreender que a lágrima não é apenas água salgada e que ela é composta de diversas substâncias essenciais para a saúde dos nossos olhos. Na lágrima, estão presentes cerca de 100 componentes que atuam não apenas na limpeza do globo ocular como também na proteção contra diversos agentes invasores.

Na lágrima, encontramos 3 camadas formadas por muco, água e gordura separadamente. Ao piscar, elas se misturam e assim, evita-se uma evaporação rápida dessa composição. Por isso que piscar constantemente é tão importante. O problema costuma aparecer em pessoas que fabricam gordura em quantidade insuficiente ou em excesso.

Pessoas que ficam em frente ao computador têm mais chances de desenvolver a Síndrome do Olho Seco?

Sim, pessoas que passam muitas horas em frente a telas, seja de computador, televisão, smartphones ou outras têm mais chances de desenvolver a síndrome, pois piscam menos enquanto estão nessa situação. O normal é que o número de piscadas seja de 8 a 10 por minuto, porém, quando estamos em momentos como esse, esse número cai para apenas 3 vezes.

Quem usa lente de contato também tem mais chances?

Verdade, quem usa lentes de contato gelatinosas possuem maiores chances de desenvolver essa síndrome. Isso acontece porque elas agem como um tipo de esponja, absorvendo a umidade presente nos olhos. Quem fica muito tempo em locais com ar condicionado também apresentam maiores chances.

O principal motivo da secura a mudança na composição da lágrima?

Pode ser, mas, na maioria dos casos, a Síndrome do Olho Seco se desenvolve por conta da redução na produção da lágrima. Algumas condições que costumam causar isso é a menopausa, doenças autoimunes como o lúpus, a artrite reumatoide, o consumo de certos medicamentos e doenças mais graves como a presença de tumores.

Como realizar o tratamento?

Se você está sentindo os sinais e sintomas que foram citados neste texto, então a primeira atitude a ser tomada é procurar o oftalmologista. O diagnóstico é, basicamente clínico, ou seja, o profissional fará perguntas sobre como você está se sentindo e exame físico. Ainda pode ser necessária a realização de um teste chamado Teste de Shirmer. Ele avalia a quantidade de lágrima que está sendo produzida.

O tratamento é feito por meio da aplicação de lubrificantes oculares que pode ser tanto na forma de pomada quanto na de colírio. Essas substâncias oferecem maior alívio aos sintomas e não costumam apresentar efeitos adversos. Assim, você pode ter uma melhor qualidade de vida e realizar as suas tarefas do dia a dia sem grandes transtornos.

Agende a sua consulta hoje mesmo e comece o tratamento da Síndrome do Olho Seco o quanto antes!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *