Obstrução do Canal Lacrimal. E agora, o que fazer?

Tempo de leitura: 3 minutos

Já ouviu falar em obstrução do canal lacrimal? Essa é uma condição que pode se desenvolver tanto em crianças quanto em adultos e possui diversas causas como a dacriocistite, entre outras. Na verdade, essa é uma situação bastante comum e que pode impedir a drenagem das lágrimas, uma complicação que pode trazer uma série de problemas.

Vamos descobrir agora um pouco mais sobre esse problema, o que é, quais são as principais causas e qual a melhor forma de tratamento!

O que é obstrução do canal lacrimal?

Também chamada de dacrioestenose, a obstrução do canal lacrimal é uma condição na qual a drenagem das lágrimas não ocorre da forma que deveria. É como se o canal lacrimal estivesse “entupido” e assim, a passagem das lágrimas fica seriamente comprometida.

Por causa disso, ocorre um acúmulo de lágrimas no saco lacrimal e, por conta desse fato, o olho fica mais vulnerável aos ataques de vírus, bactérias, fungos e demais agentes invasores. Como consequência, acaba ocorrendo uma infecção local produzindo a dacriocistite. Pode ocorrer também a canaliculite que é a inflamação dos canais pelos quais as lágrimas passam.

Quais são os tipos de dacriocistite?

Existem, basicamente, dois tipos de obstrução do canal lacrimal. A forma aguda é caracterizada por se desenvolver de forma súbita. Já a forma crônica pode durar semanas ou até meses. Tanto a forma aguda quanto a forma crônica pode acometer os dois olhos ao mesmo tempo, porém, a forma unilateral é a mais comum.

Quais são as principais causas?

Nos recém-nascidos, a causa da obstrução do canal lacrimal pode ocorrer de forma congênita, ou seja, a obstrução vem desde o nascimento. Aqui ocorre uma má formação anatômica na qual há uma falha na abertura da membrana que fica localizada no final do canal lacrimal. O normal é que ela se rompa assim que o bebê realiza o primeiro choro ao nascer. Em alguns casos isso pode não acontecer e isso pode levar meses para ocorrer.

Outras causas comuns que podem aparecer são:

  • canais de drenagem muito estreitos;
  • osso nasal com defeito anatômico impedindo o ducto nasal de entrar no nariz;
  • infecções no local ou próximas.

Quais são os principais sinais e sintomas?

Ocorre lacrimejamento constante como os primeiros sinais dessa condição. Com o passar do tempo, os olhos ficam avermelhados e podem ficar tão inchados que há dificuldade até mesmo para abri-los. Além disso, é muito mais fácil que a região seja colonizada por vírus, bactérias e outros agentes infecciosos, causando uma série de complicações.

Qual é o tratamento indicado?

Normalmente, a obstrução do canal lacrimal costuma se resolver já no primeiro ano de vida de forma espontânea. Mas, em alguns casos, isso pode não acontecer. Nessa situação é necessário iniciar um tratamento específico.

As soluções não costumam ser invasivas e tratamentos como massagem do ducto nasolacrimal ou a utilização de um antibiótico na forma de colírio em caso de infecções costumam resolver. Quando essas alternativas não dão certo, é preciso partir  para outras soluções como a dilatação ou sondagem do canal.

Seu filho está com esse problema? Marque uma consulta agora mesmo e comece o tratamento o quanto antes!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *