Para quem é indicado a Cirurgia Refrativa?

Tempo de leitura: 3 minutos

A miopia, a hipermetropia, presbiopia e o astigmatismo atingem cada vez mais a população mundial. Por diversas causas, inclusive hereditariedade e estresse de visão pela atual vida cotidiana, essas doenças possuem graus que vão aumentando de acordo com o tipo de causa, a saúde do paciente, seu cotidiano e o cuidado que tem com ela.

Numa consulta oftalmológica, é indicado o uso de óculos e lentes de contato como principais formas de cuidado com essas doenças, que em geral ajudam a retardar seu desenvolvimento e proporcionar uma visão melhor para o paciente. Mas para quem quer eliminar a deficiência visual ou ao menos diminuir ao máximo dependendo do caso, o mais indicado é a cirurgia refrativa.

 

Como e quem pode fazer a Cirurgia Refrativa

 

Considerado um procedimento simples, a cirurgia refrativa não precisa de internação e sua duração é curta. Ela utiliza um equipamento chamado de Excimer Laser com uma luz ultravioleta que pode remodelar a superfície da córnea para corrigir seus erros.

Segundo a Clínica de Olhos Camargo Zambrin, em Goiás, a cirurgia refrativa serve para corrigir deficiências visuais como miopia, hipermetropia, astigmatismo e presbiopia. Mas para saber se é possível fazer o procedimento, é médico avaliar o histórico ocular e a um exame completo.

A idade mínima é 18 anos e o paciente não pode ser gestante e nem pode possuir doenças oculares ou sistêmicas. Para que a cirurgia seja bem-sucedida, o paciente passa por uma série de exames para fazer diagnósticos precisos na avaliação ocular e se a cirurgia é realmente o método mais eficaz.

O Hospital de Olhos Camargo Zambrin, de Anápolis, indica que, dentre esses exames, estão a topografia e tomografia da córnea, paquimetria, mapeamento da retina e microscopia, que avaliarão se há degeneração ocular que não seja adequada a cirurgia. Só passando por todos os procedimentos de análise será possível confirmar se a cirurgia refrativa irá suprir as expectativas sobre o resultado positivo.

A cirurgia é capaz de corrigir múltiplos problemas, como pessoas com miopia e astigmatismo, ou miopia e hipermetropia, por exemplo, sendo avaliado através dos exames até onde a cirurgia irá resolver.

 

Cirurgia Refratária Personalizada e Outras Técnicas

 

 

Uma cirurgia refrativa comum não percebe a sutileza individual de cada olho, cumprindo apenas a correção dos vícios de refração. Já na personalizada há uma avaliação mais profunda da realidade de cada olho, e é feita uma programação específica e exclusiva para a cirurgia mais precisa.

Ela utiliza um sistema chamado Wave Front, para uma lapidação da córnea capaz de eliminar as pequenas imperfeições de sua superfície. Essas imperfeições reagem na impossibilidade de se distinguir objetos à noite e manchas após a cirurgia. Pessoas com astigmatismo tendem a sentir seus efeitos positivos muito mais que os outros.

No Hospital de Olhos  Camargo Zambrin de Anápolis há a utilização de uma das quatro técnicas de cirurgia refrativa padrão, como a PRK, que raspa e remove o epilétio da córnea na aplicação do laser, a Lasik, que cria um flap no epitélio para então aplicar o laser, a Intralase, que simula o Lasik mas sem usar lâmina para criar um flap no epitélio, e a Presbilasik, que corrige a presbiopia.

 

 

Leu a matéria e ainda restou alguma dúvida? Deixe o seu comentário logo abaixo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *