Hipertensão também afeta a visão e pode te deixar cego!

Tempo de leitura: 2 minutos

A retinopatia não é um assunto novo no blog da Camargo Zambrin. É um tema importante e que já tratamos em um post anterior. (Retinopatia Diabética: descubra a doença que pode destruir sua visão!)

Mas no post de hoje, iremos tratar um outro tipo dessa doença que afeta a camada interna dos olhos. Assim como a diabética, a retinopatia hipertensiva ataca a retina e pode levar à perda da visão permanentemente. Por isso, conheça a doença e descubra como evitá-la. Acompanhe:

O que é a Retinopatia Hipertensiva?

Assim como o diabética, a retinopatia hipertensiva atua diretamente no sistema circulatório presente na retina. Porém, o grande vilão influenciador da doença é a hipertensão arterial. A doença ocorre devido o estreitamento dos vasos sanguíneos, fato que gera o aumento da pressão sanguínea.

Acomete principalmente os pacientes com Hipertensão arterial sistêmica, geralmente com idade acima dos 60 anos e pressão arterial não controlada.

Como ocorre?

Os vasos sanguíneos transportam o sangue que carrega o oxigênio necessário para a ação das células retinianas, e sem altas quantidades de oxigênio a morte celular é evidente, ocasionando na degradação da visão de forma progressiva.

Consequências

A lesão dos vasos sanguíneos decorrentes da retinopatia se dá por duas formas: a elevação persistente da pressão arterial sistêmica (forma crônica) e através da elevação repentina da pressão arterial.

Devido a doença dos vasos, acometidos pela hipertensão, o sistema circulatório da retina fica fragilizado e propenso à rompimentos e, consequentemente, hemorragias na camada macular (região que se concentra a maior parte das células responsáveis pela formação de imagens na retina).

Sintomas

A retinopatia hipertensiva crônica não apresenta sintomas. Geralmente as queixas de pacientes que são acometidos pela doença são feitas devido complicações. As mais comuns são dor de cabeça, embaçamento da visão, sensação de flashes de luz, distorções visuais, visão dupla e diminuição do campo visual.

Tratamento

Não há tratamentos específicos. A atenção deve se concentrar na mudança de hábitos cotidianos para evitar a progressão da doença a fim de controlar a pressão arterial e diminuir os sintomas decorrentes do agravamento gerado. O acompanhamento se dá por exames realizados regularmente por médicos oftalmologistas. (conheça a equipe médica da Camargo Zambrin), a fim de se evitar complicações maiores como: oclusões venosas, hemorragias, descolamento de retina e até mesmo aneurismas.

Por isso, não deixe a dúvida atrasar os seus cuidados com a sua saúde. Agende uma consulta com a equipe médica especializada em protocolos de cuidado com a retina da Camargo Zambrin e garanta a sua qualidade de vida!

 

Leu a matéria e ainda restou alguma dúvida? Deixe o seu comentário logo abaixo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *