A chegada do Verão e o cuidado com os olhos

Tempo de leitura: 3 minutos

A estação mais quente do ano é também uma das mais aguardadas por estar entre os meses de férias a partir do fim do ano. Por conta disso, preferimos fazer viagens de férias durante o período, muitos para praia, Resorts ou campo. Devemos estar atentos, no entanto, que o período não requer apenas o cuidado com a pele, mas com o órgão que nos possibilita presenciar todos os melhores momentos de lazer e diversão.

Os olhos são sensíveis e necessitam de constante atenção nesse período. Abaixo abordaremos algumas situações e os cuidados requeridos para te precaver de sua visão de tirar férias eternas de você. Confira:

Com o Sol

Da pele já sabemos que Sol pode ser um excelente aliado para aquele bronzeado desejado e para o estímulo à produção de vitamina D, e também um grande vilão quando não tomado aqueles tradicionais cuidados (protetor solar, ingestão de líquidos, hidratantes de pele etc). Mas e quanto aos olhos?

A prolongada exposição dos olhos aos raios solares (mesmo que em períodos nublados), o órgão é submetido a uma serie de riscos, como:

Pterígio: Reação do olho a um processo de irritação à prolongados períodos de exposição ao Sol e ao vento, surgindo uma formação branca carnosa em direção à córnea.
Catarata: Condição ocular em que ocorre o embaçamento progressivo do cristalino devido, também, ao envelhecimento dessa região pela exposição aos raios UVA e UVB, promovendo (ou não) o processo de cegueira.

Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI): É a degeneração da área central da retina, chamada “mácula”. Esta degeneração é progressiva e tem o Sol como um dos fatores responsáveis pelo processo. A mácula é a região responsável pela nitidez das imagens. O DMRI é um processo que pode levar à cegueira se não precavido ou tratado.

Com o ambiente

A praia e ambientes como clubes, lagos e rios são ambientes excelentes para se aproveitar nos momentos de descanso ou descontração. Porém, são também paraísos para as bactérias. A água do mar é bastante contaminada evidentemente, porém a da piscina pode ser ainda mais nociva, por conter cloro em sua composição e ainda a ocorrência dos micro bióticos. No verão portanto, a proliferação desses microrganismos é maior devido as altas temperaturas e algumas doenças acarretadas como consequência. Duas são comuns nesses casos:

Conjuntivite: Processo inflamatório da membrana conjuntiva (que recobre toda a região branca do globo ocular e a região interna da pálpebra) causado por bactérias ou vírus. A infecção ocorre principalmente por contágio através do contato com objetos, pessoas e ambientes contaminados (como piscinas, onde há proliferação de microrganismos diversos).

Ceratite: Inflamação da córnea ocasionada principalmente por ação de bactérias (presentes em lagos, por exemplo). Identifica-se pela sensação de algo grudado nos olhos, visão embaçada e lacrimejamento. Se não tratada a tempo, a doença pode progredir rapidamente e levar ao déficit visual ou até à perda da visão, ocasionada pela perfuração dessa camada externa dos olhos.

Levando em conta todas essas informações, previna-se! Abuse dos chapéus e óculos escuros com filtros adequados. Mantenha as mãos limpas (principalmente após utilizar alguns produtos, como protetor solar) e evite o contato delas com os olhos. Utilize óculos de natação e não se esqueça de tirar as lentes de contato antes de dar alguns mergulhos e tenha sempre por perto água potável para lavar os olhos após banhos.

Em qualquer caso, vermelhidão ou qualquer tipo de irritação, procure o diagnóstico de um oftalmologista. A Camargo Zambrim dispõe de uma equipe capacitada a oferecer todo tipo de suporte em questões oftalmológicas para você aproveitar as férias e toda a vida, enxergando os melhores momentos com nitidez e qualidade na visão!

Leu a matéria e ainda restou alguma dúvida? Deixe o seu comentário logo abaixo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *